Bancos estão prontos para o aumento de 5% da margem consignável

Publicado em: 04/09/2020

O mercado financeiro está bem agitado, aguardando a definição sobre a confirmação da liberação do aumento de 5% da margem consignável, para o empréstimo consignado.

Como a operação tem ao todo três partes envolvidas, é preciso certa adequação nos processos internos das instituições financeiras para que o empréstimo seja concluído e o dinheiro liberado.

Mas a notícia positiva – e o que que já se vê nos bastidores é uma mobilização bem grande: segundo a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), os bancos já estão preparados para as novas demandas. Saiba mais!

Aumento de 5% da margem consignável INSS

Por recomendação do Conselho Nacional de Previdência Social, o CNPS, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pode ter em breve novas regras para a oferta do empréstimo consignado aos Aposentados e Pensionistas.

A mudança diz respeito ao aumento de 5% da margem consignável, ampliando o limite atual mensal de 30%, para 35%.

Além deste percentual, há ainda 5% que é destinado exclusivamente para as despesas do cartão de crédito consignado. Portanto, se aprovado, o valor pode chegar a 40% do valor líquido da aposentadoria ou pensão recebida.

A modalidade que é descontada direto do benefício previdenciário apresenta como vantagens taxas de juros menores e opções de parcelamento em até 84 vezes.

Frente a todos os desafios financeiros pelo qual passam os Aposentados e Pensionistas e a dificuldade de acesso a crédito com valor justo, o aumento de 5% da margem consignável é ainda mais esperado.

Em quanto tempo o Empréstimo Consignado com a nova margem pode ser liberado?

Depois de sancionado em lei, o aumento de 5% da margem consignável passa a ter vigência a partir da data de publicação no Diário Oficial da União (DOU). Isso quer dizer, portanto, que aqueles Aposentados ou Pensionistas que precisam de empréstimo já vão poder usar o novo limite.

Como no geral, a margem consignável deste grupo já é tomado por empréstimos, os 5% adicionais podem ajudar a obter novo crédito. O valor pode ainda trazer um alívio financeiro, para o atual momento em que o país vivencia.

Leia também: Bancos autorizados a fazer Empréstimo Consignado INSS em 2020

Do lado dos bancos, certamente haverá uma grande corrida que pode ser traduzida em mais benefícios para este público. As propostas pré-digitadas poderão ser efetivadas assim que liberado em sistema.

Vale lembrar que o dinheiro só é transferido para o solicitante, após a averbação do contrato. Do pedido até a liberação o prazo médio é 3 a 5 dias úteis. Com a modernização dos sistemas financeiros, muitas instituições financeiras têm antecipado esse prazo.

Leia também: O que é Averbação no Contrato de Empréstimo Consignado?

A averbação é a concordância da utilização da margem consignável. É isso o que permite que o desconto seja efetuado na folha de pagamento automaticamente, sem qualquer interferência do Aposentado ou Pensionista que fica livre também de pagar boletos mensalmente.

Além do titular do empréstimo e da instituição financeira escolhida, é preciso ter ainda a autorização da Dataprev – que é o sistema interno do INSS. Em resumo, se há margem disponível, a proposta poderá ser efetivada sem problemas.

Como o aumento de 5% da margem consignável, propõe justamente este incremento, a expectativa é que mais pessoas possam ter acesso ao consignado.

Um detalhe importante neste caso é que, como a recomendação para o aumento da margem INSS partiu do próprio Conselho do Instituto, o que se espera é que seja aprovado muito em breve.

Crédito liberado deve ajudar a injetar dinheiro na Economia

Apesar do empréstimo ser facultativo, ou seja, solicitado somente conforme opção do titular, o acesso facilitado pode ajudar a injetar mais dinheiro na Economia, nos últimos meses do ano.

Vale lembrar que os beneficiários do INSS, tiveram o 13º salário pago antecipadamente neste ano. Então, o valor que é normalmente utilizado para novas compras ou para cobrir despesas de início do ano, que já foi liberado pela Previdência Social, não estará disponível.

Ainda em discussão está o pagamento adicional de mais um salário (o chamado 14º salário emergencial INSS), no entanto, a assunto ainda aguarda aprovação na Câmara.

Aumento de 5% da margem consignável e comprometimento da renda

Assim como em qualquer outro caso, os Aposentados e Pensionistas só devem solicitar novo crédito, se realmente necessário.

O valor consignado das parcelas, torna a aposentadoria ou pensão menores, pelo tempo em que durar o contrato. Por este motivo, é preciso um planejamento financeiro mínimo, para garantir que haverá margem e dinheiro disponível – em caso de emergência, por exemplo.

Leia também: Governo lança campanha para prevenir golpes financeiros contra idosos

Ainda não foi definido se o aumento de 5% da margem consignável valerá apenas pelo período da pandemia ou se deverá ser confirmada como nova regra permanente. Mas, independente de quanto tempo poderá durar, a melhor opção é sempre a do crédito consciente.

Isso pode evitar a busca por crédito com taxas de juros maiores e reduz o risco de endividamento. Com o empréstimo consignado, você conseguirá taxas de juros mais baratas, prazos de pagamento mais flexíveis e carência no primeiro pagamento.


Se você é Beneficiário INSS e não quer perder mais nenhuma informação relevante, pode receber notícias selecionadas direto no seu WhatsApp. Clique aqui para se inscrever GRATUITAMENTE.

Receba novidades por e-mail