Veja como será o aumento da aposentadoria em 2022

aumento da aposentadoria - mulher segurando conta com notas de dinheiro

Publicado em: 22/10/2021

Em setembro de 2021, a inflação bateu recorde histórico, com uma alta de 10,16% em comparação com o mesmo mês de 2020, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apesar das preocupações que este índice desperta em toda a população, fato é que ele reflete no aumento da aposentadoria da Previdência Social.

Isso porque os reajustes dos benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) estão atrelados ao mínimo, bem como ao comportamento inflacionário do ano anterior. Para se ter uma ideia, em agosto de 2021, o governo federal previa salário-mínimo de R$ 1.169,00 para 2022.

No entanto, essa cotação já foi reajustada para R$ 1.192,40, podendo expandir ainda mais se o ritmo da ampliação geral dos preços não for contido.

Confira os principais detalhes sobre as tendências de aumento da aposentadoria em 2022.

Cadastre-se para receber as novidades dos benefícios do INSS
Erro ao enviar, tente novamente.

Quando é o aumento da aposentadoria INSS?

A Lei 8.213/1991, que trata dos Planos de Benefícios da Previdência Social, fixa que o reajuste da aposentadoria deve acontecer anualmente na mesma data e proporção em que o salário-mínimo recebe acréscimo.

Segundo determinação da Constituição Federal, o piso salarial precisa passar por correções que levem em conta o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor do ano) do ano precedente.

A última revisão do salário-mínimo foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 30 de dezembro de 2020. Assim, nessa data, o piso passou de R$ 1.045,00 para R$ 1.100,00 em 2021. Nesse cenário, o mais provável é que o aumento da aposentadoria para 2022 seja conhecido pelos segurados do INSS até o fim de 2021.

No entanto, é válido destacar que esses detalhes são apenas uma previsão com base nos dados disponíveis atualmente. Afinal, a proposta do Planalto ainda terá de receber o crivo do Senado Federal e da Câmara dos Deputados.

Sem ampliação real

Conforme a legislação brasileira, a correção do salário-mínimo precisa atender pelo menos à oscilação do INPC. Tal medida tem como objetivo preservar o poder de consumo da população brasileira.

Desde 2020, o acréscimo do piso salarial tem sido feito somente com base nesse indicador inflacionário, ajudando a aliviar a desvalorização do mínimo, mas sem um aumento real do poder de compra.

Entre 2007 e 2019, a revisão do mínimo ultrapassava o INPC. Nesse período, além deste último parâmetro, também era levado em conta o desempenho do PIB (Produto Interno Bruto).

Essa medida permitia a aposentados e pensionistas não apenas repor as perdas, mas também expandir o poder de compra.

Quais fatores influenciam no aumento da aposentadoria?

Em via de regra, influenciam no aumento da aposentadoria a cotação do salário-mínimo e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor. É o que determina a Lei nº 8.213/91, que dispõe sobre os “Planos de Benefícios da Previdência Social”.

Assim, aposentados e pensionistas da Previdência Social que recebem até um salário-mínimo terão a mesma revisão dos trabalhadores com carteira assinada da ativa. Porém, os beneficiários do INSS com proventos acima do piso têm seu acréscimo afetado exclusivamente pelo INPC.

Tanto em 2020 como em 2021, o salário-mínimo foi reajustado apenas pelo INPC. No entanto, em alguns momentos da economia — quando há crescimento —, o mínimo também recebe a interferência do PIB, como o que foi mencionado no tópico anterior.

Por isso, nessas ocasiões, aposentados com até um salário-mínimo e os que ganham acima desse patamar podem contar com reajustes percentuais distintos.

Qual será o aumento da aposentadoria em 2022?

Não se pode afirmar com certeza o aumento da aposentadoria em 2022. Afinal de contas, tudo vai depender do comportamento da inflação, isto é, do INPC no último trimestre de 2021 — já que esse período final afetará a composição geral do ano.

O que se pode antecipar é a última previsão do governo federal sobre o assunto, que aponta R$ 1.192,40 de piso salarial para 2022. Como o Banco Central vem contabilizando inflação superior a 10% ao longo de 2021, é bastante provável que o mínimo passe de R$ 1.200,00.

Evidentemente, tal estimativa pode estourar diante de um cenário econômico crítico e instável. Nesse sentido, o teto dos benefícios do INSS também se expande com a mudança no mínimo. Assim, a expectativa é que os limites de benefícios previdenciários alcancem R$6.973,99.

Aumento da aposentadoria para quem ganha até um salário-mínimo

Dessa forma, os beneficiários da Previdência que ganham até um salário-mínimo devem contar com aumento da aposentadoria de R$ 92,40.

Ou seja, nesse caso, o piso iria dos atuais R$ 1.100,00 para R$ 1.192,40. Além disso, não é demais lembrar que esta previsão foi anunciada em setembro de 2021. Mais uma vez, frisa-se, os dados são atualizados conforme se aproxima o fim do ano.

Aumento da aposentadoria para quem ganha acima do mínimo

De acordo com o Ministério da Economia, o Índice de Preços deve ficar em 8,4% até o final de 2021. Em outras palavras, os aposentados que recebem mais do que o piso também deve ser contemplado com a ampliação acima da média em seus pagamentos.

Em 2020, essa taxa encerrou o ano com alta de 5,4%. Se confirmada a variação estimada para todo o ano de 2021, o acréscimo será de 3 pontos porcentuais.

Como fica o empréstimo consignado com o aumento da aposentadoria?

Com a inflação em tendência de crescimento, existe a expectativa de que a expansão do mínimo seja a mais alta nos últimos seis anos. Apesar disso, é pouco provável que haja aumento de aposentadoria real.

Afinal, com a inflação em níveis acentuados, os preços de produtos e serviços também encarecem. Isso significa uma pressão no poder de compra.

No entanto, existe sim uma notícia boa para a expansão do mínimo e do INPC. Conforme as aposentadorias passam por reajustes, a margem consignável para fazer empréstimo consignado se estende.

Como consequência, o aposentado pode pagar menos juros nas operações de crédito dessa modalidade. Quanto maior for o aumento da aposentadoria, mais expressiva será a quantidade disponível para empréstimo com desconto em folha de pagamento de benefício.

Além disso, pessoas que já ultrapassaram o limite de consignado terão a chance de efetuar novas transações, caso desejem ou precisem disso.

Portanto, o aumento da aposentadoria provavelmente baterá recordes em 2022, devido à aceleração das altas nos preços.

Embora não seja uma ampliação de fato, uma vez que serve mais para manter o poder aquisitivo das pessoas, pois vem acompanhada da elevação do custo de vida em geral, o reajuste do mínimo mexerá com a margem consignável dos empréstimos consignados.

Ou seja, quem deseja realizar um projeto ou saldar outras dívidas mais caras com esse dinheiro está bem perto de conseguir realizar seus objetivos.

Para quem não quer ou não pode esperar o aumento da aposentadoria, a melhor forma de contratar empréstimo consignado mais barato é com o simulador online e gratuito da bxblue.

Com poucos passos, bastando ter acesso a internet e sem precisar sair de casa, aposentados e pensionistas podem comparar várias ofertas e contratar consignado com as menores taxas de juros do mercado. Simule grátis um empréstimo consignado.


Se você é beneficiário INSS e não quer perder informações relevantes, pode receber notícias selecionadas direto no seu WhatsApp.  Clique aqui para se inscrever GRATUITAMENTE.