Como funciona a carência do Empréstimo Consignado?

Publicado em: 04/05/2020

A carência de pagamento que é muito comum em outras modalidades de crédito pessoal, também pode ser uma condição do empréstimo consignado. No entanto, essa prática e vantagem comercial é oferecida, somente por alguns bancos – não sendo, portanto, obrigatória ou determinada por lei.
Entenda quais são as vantagens e desvantagens da carência do empréstimo consignado e como fazer essa avaliação.

O que é um empréstimo com carência?

A carência de um empréstimo está associada ao intervalo que é dado entre a contratação de um empréstimo e o pagamento da primeira parcela.
Esse prazo adicional é concedido pelos bancos para que os contratantes tenham mais tempo para pagar suas dívidas. Assim, diferente do que é feito normalmente, o empréstimo pode ser pago em até 45, 90 ou 180 dias após a data em que o crédito caiu em conta. Com isso, isenta o desembolso do valor da parcela no mês seguinte ao da contratação.

Leia tambémSaiba TUDO sobre a Lei do Empréstimo Consignado nº 10.820/2003

Além disso, o valor é pago sem qualquer ônus, reajuste ou alteração já que não se trata de um atraso e sim, de um prazo negociado.
Essas condições são definidas na política de crédito ou ações promocionais das instituições financeiras, entretanto a carência é facultativa. Ou seja, pode ser aplicada somente em situações específicas, a critério de cada banco.

Como funciona a carência do Empréstimo Consignado?

O empréstimo consignado é aquele vinculado diretamente com a folha de pagamento dos Aposentados, Pensionistas e Servidores Públicos. Dessa forma, o desconto mensal referente ao valor da parcela, ocorre de forma automática – sem a necessidade de pagar boletos.
Quando aprovada para esta modalidade, a carência dá um prazo maior para o desconto da primeira parcela. Na prática, o pagamento automático só será realizado então, após o período estabelecido pela carência.
Para que isso ocorra, a condição precisa ser citada em contrato, indicando qual será a data de vencimento da primeira parcela. As demais parcelas ocorrerão em data e mês subsequentes – não sendo possível prorrogar o pagamento.
Vale lembrar que a carência do empréstimo consignado é aplicada ao pagamento da primeira parcela – salvo raras exceções (como a do adiamento das cobranças pelos bancos, em função da pandemia do Covid-19).

Vantagens e Desvantagens da carência do Empréstimo Consignado

Mesmo sendo entendido como um benefício, por se tratar de um empréstimo, é sempre muito importante ponderar até que ponto contar com a carência pode ser uma vantagem. Isso, pensando no curto, médio e longo prazos. Na dúvida, vale considerar alguns pontos:

Dá mais “fôlego financeiro”

Quem precisa de dinheiro extra, geralmente, quer o crédito de forma rápida. Mas, e se além do dinheiro em conta puder contar ainda com um prazo maior para o primeiro pagamento, melhor. Com isso, é possível ter um “fôlego financeiro”.
Em outras palavras, esse remanejamento também pode ajudar num ajuste financeiro. O cuidado é que, mesmo uma dívida não paga imediatamente precisará ser quitada de alguma forma, em algum momento.
Então, é preciso ter esse pagamento previsto para não desequilibrar novamente as finanças. Se preferir, mesmo sendo uma vantagem oferecida pelo banco, o contratante pode recusar e manter o prazo original de vencimento.

As taxas de juros são as mesmas

A carência do empréstimo consignado não altera o valor total do contrato ou das parcelas. Isso quer dizer que, o desconto mensal será sempre no mesmo valor – uma vez que as parcelas são fixas. Com isso, o susto no final do mês pode ser evitado já que a dívida não acumula.
Como as taxas de juros levam em consideração o risco de inadimplência, que no consignado é mínima, a taxa cobrada já é mais barata. Fora isso, mesmo com a carência o valor cobrado segue inalterado.

Prolongamento do prazo da dívida

Embora o prazo do contrato seja o mesmo (podendo ser de no máximo 84 meses para benefícios INSS e de até 96 meses para Servidores Públicos), a carência prolonga o prazo total da dívida.

Leia também3 bancos onde você pode adiar as parcelas do Empréstimo Consignado

A(s) parcela(s) não paga(s) no início do contrato, serão descontadas em folha, nos meses seguintes, após o término da carência. Assim, o prazo original da dívida também passará a contar a partir desta data. Logo, se a carência for de 180 dias, por exemplo, a duração do contrato terá uma extensão de 180 dias, ou seja, vencerá só depois.
É importante considerar essa informação, mais uma vez, para um melhor planejamento financeiro.

Compromete a margem consignável da mesma forma

Mesmo que o prazo inicial para pagamento da primeira parcela seja superior ao padrão de 30 dias da contratação, a margem consignável permanecerá bloqueada.

Basta lembrar que a margem é utilizada tanto para cálculo do limite de crédito disponível, quanto para o valor máximo a ser descontado mensalmente. Assim, quando o contrato é averbado, a margem é consignada pelo tempo de duração do contrato. Logo, se o prazo é estendido, a margem ficará comprometida por mais tempo também.
Durante o período da carência, o titular da dívida só pode contratar outro empréstimo, se tiver margem adicional. Outra opção é renegociar a(s) dívida(s) atual(ais), reduzindo o valor de cada parcela.
Então a carência do empréstimo consignado vale ou não vale pena? A resposta é: depende. Vale avaliar os aspectos positivos e negativos desta decisão.

Quer fazer um empréstimo consignado?

A bxblue pode te ajudar a contratar o consignado que você está precisando! Compare propostas de crédito consignado de diferentes bancos e escolha a melhor para você.

Simule seu consignado

Receba novidades por e-mail