Custo Efetivo Total (CET): quais os custos do empréstimo consignado?

Publicado em: 13/01/2021

Pra saber qual é o empréstimo consignado mais barato e fechar um bom negócio, é preciso estar atento prioritariamente ao Custo Efetivo Total (CET).

E para isso, comparar as taxas de juros não é suficiente. Afinal, existem vários outros fatores que podem encarecer o empréstimo e que nem sempre ficam tão claros.

Aproveite para saber quais são esses fatores e como ter maior controle financeiro.

Receba novidades por e-mail.
Erro ao enviar, tente novamente.

O que é CET: Custo Efetivo Total?

Custo Efetivo Total ou CET é a taxa que engloba todos os encargos e despesas decorrentes das operações de crédito e arrendamento mercantil, contratados por pessoas físicas ou empresas

Quando uma pessoa contrata um empréstimo consignado, por exemplo, além da taxa de juros pagará os demais tributos e encargos, taxas assim como os custos operacionais desta operação financeira à instituição contratada.

O valor pode incluir ainda a contratação de serviços opcionais como os seguros.

Assim, quanto maior o Custo Efetivo Total, maior o valor a ser pago ao banco. Quanto menor o custo efetivo total, melhor.

Portanto, o CET representará quanto será pago mensalmente, nas respectivas parcelas, conforme o prazo acordado.

O Custo Efetivo é citado em valor percentual, representado ao mês ou ao ano e sua definição é determinado pela política de crédito de cada instituição financeira.

Entenda quais cobranças e valores podem ser somados a essa alíquota.

Quais valores estão no Custo Efetivo Total?

No valor total de um empréstimo, como o consignado, podem constar:

  • Taxa de juros;
  • Taxa de análise de crédito;
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF);
  • Taxa de Abertura de Crédito (TAC);
  • Taxas administrativas em geral;
  • Taxa de manutenção de cadastro;
  • Outras tarifas gerais (devem ser discriminadas e detalhadas);

Por lei, os contratos de empréstimo consignado celebrados por aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) são isentos da cobrança da TAC.

Leia também: É preciso pagar taxas ou depósito antecipado para ter crédito consignado?

Todos os custos devem ser inclusos no valor contratado, não sendo necessário pagar qualquer valor a parte para análise ou liberação de crédito.

A liberação de crédito não pode ser condicionada a contratação de serviços que são tidos como opcionais, como é o caso do seguro prestamista. As instituições também não podem fazer as chamadas “vendas casadas”, obrigando a contratação de outros serviços.

Vale lembrar ainda que para contratar o consignado, não é necessário ser correntista do banco de interesse. Assim, é possível ter conta corrente em um banco e solicitar crédito em outro.

Como calcular o Custo Efetivo Total?

A equação do cálculo do Custo Efetivo Total dos contratos de empréstimo e financiamento é dada por:

Fonte: Banco Central

Onde:

  • FC0: valor do crédito concedido, deduzido das despesas e tarifas pagas antecipadamente;
  • FCj: valores cobrados, incluindo amortizações, juros, prêmio de seguro e tarifa de cadastro ou de renovação de cadastro, bem como qualquer outro custo ou encargo cobrado;
  • j: j-ésimo intervalo existente entre a data do pagamento dos valores periódicos e a data do desembolso inicial, expresso em dias corridos;
  • N: prazo do contrato, expresso em dias corridos;
  • dj: data do pagamento dos valores cobrados, periódicos ou não (FCj);
  • d0: data da liberação do crédito pela instituição (FC0).

Esse cálculo apresentado pelo Banco Central tem como base o ano de 365 dias corridos. Geralmente, o mercado financeiro considera 252 dias úteis.

O cálculo parece complicado, mas não se preocupe com isso. No contrato o valor já vem expresso em percentual (referente a taxa anual e mensal), o que facilitará a compreensão.

Isso quer dizer que os solicitantes de qualquer tipo de crédito não precisam, necessariamente, saber calcular o valor do CET. Essa informação é obrigatória e precisa ser expressa.

Onde e como consultar o CET?

Criada pelo Banco Central em 2007, a Resolução CMN 3.517/2007 obrigada toda instituição financeira a informar o Custo Efetivo Total para qualquer financiamento ou empréstimo.

As instituições financeiras devem informar qual é o CET nas propostas (que antecedem a contratação) e no contrato. O mesmo vale para quando essa informação for solicitada pelo contratante.

A planilha com o cálculo atualizado deve ser fornecido pelo banco ao tomador do crédito, detalhando valores e referências.

Veja um exemplo disponibilizado pelo Banco Central na Carta-Circular 3.593, de 2013.

ExemploR$%
a) valor total devido do empréstimo ou
financiamento ou arrendamento mercantil
financeiro no ato da contratação:
1.080,00
b) valor liberado ao cliente ou vendedor:1.000,0092,6% (b/a)
c) despesas vinculadas à concessão do crédito:80,007,4% (c/a)
c1) tarifas (especificar), quando houver:30,002,8% (c1/a)
c2) tributos (especificar), quando houver:10,000,9% (c2/a)
c3) seguro (especificar), quando houver:– (c3/a)
c4) outros (especificar), quando houver:40,003,7% (c4/a)
Fonte: Banco Central

IMPORTANTE: o valor do CET deve constar também nos informes publicitários das instituições financeiras ou correspondentes bancários.

Para que serve o CET e qual a sua importância?

O CET serve para esclarecer ao tomador de empréstimos quanto vai custar a operação. Ou seja, do total pago, quanto é relativo ao valor solicitado e quanto são taxas, impostos e outras tarifas.

Isso porque o mercado financeiro ainda sofre muito com a falta de transparência, especialmente nas operações relativas à oferta de crédito – onde o consumidor não sabe ao certo o que está contratando e nem o que pagará.

Como o consignado é descontado diretamente da folha de pagamento, mensalmente, qualquer diferença ou valor desconhecido pode aumentar o valor da parcela e causar um desequilíbrio orçamentário.

Leia também: Como comparar ofertas de empréstimo consignado de vários bancos?

Também é uma importante base comparativa já que revela o custo total cobrado por um banco ou em uma modalidade de crédito pessoal.

Dessa forma, os consumidores podem tomar decisões mais acertadas e que, de fato, atendam a sua necessidade e caibam no bolso.

Esse indicador é eficiente quando a comparação é feita para operações com o mesmo prazo médio de vencimento.

Do contrário, o recomendado é avaliar o spread bancário (diferença entre os juros que o banco cobra ao emprestar e a taxa que ele mesmo paga ao captar dinheiro).

Afinal, quanto custa um empréstimo consignado?

Qual é o CET do consignado?

Quando um empréstimo ou financiamento é realizado, o tomador assume uma dívida.

Assim, se compromete também a pagar ao banco uma parcela mensal do valor emprestado, acrescido dos juros e outras taxas, durante todo o período do contrato.

Leia também: Como funciona o cálculo do empréstimo consignado?

As taxas de juros anunciadas dos empréstimos são as taxas nominais, geralmente expressas ao mês. No entanto, ao observar o custo total, o valor pago será maior que o anunciado. Essa diferença é devida à chamada taxa efetiva.

Apesar de bastante utilizada no mercado, a taxa nominal não representa uma taxa efetiva.

Taxa de juros nominal

É aquela taxa em que o prazo de referência para taxa é diferente do período de capitalização. 

A taxa nominal é sempre fornecida em termos anuais e os períodos de capitalização podem ser semestrais, trimestrais, mensais ou diários.

Exemplo: 12% ao semestre com capitalização mensal.

Taxa de juros efetiva

É aquela em que o período de referência da taxa é igual ao período de capitalização.

Exemplo: 1% ao mês com capitalização mensal.

É importante saber que as taxas nominais são taxas proporcionais. Por esse motivo são menores que as taxas equivalentes, pois não consideram juros sobre juros (regime de juros compostos).

Por exemplo, uma taxa de juros nominal de 6% ao ano, corresponde a uma taxa efetiva de 0,5% ao mês (= 6/12). Se for feito o cálculo da taxa efetiva anual o valor será de 6,1678% ao ano.

Empréstimo x cartão

O CET de um empréstimo e de um cartão tem valores diferentes. Isso ocorre, porque são entendidos como operações com valores, prazos e condições que variam tanto em termos de operação, quanto de percentuais.

Sendo assim, o CET de um cartão consignado pode ser inferior ao de um empréstimo ou vice-versa, dependendo da situação.

O mesmo pode ocorrer em função da política de crédito de cada instituição financeira.

Ao utilizar o simulador de empréstimo consignado da bxblue, você pode comparar propostas e CET de várias instituições financeiras, de uma só vez. Garanta a melhor oferta de crédito ou cartão consignado, sem sair de casa!


Quer receber as últimas notícias, em primeira mão direto no seu Whatsapp? Se inscreva gratuitamente:

Receba novidades por notificação
Receba novidades por e-mail
Erro ao enviar, tente novamente.