O que é o open banking e seu impacto no mercado de consignado online

open banking - finanças, fintech, tecnologia

Publicado em: 11/03/2021

Produtos e serviços variados, custos mais baixos, maior transparência e autonomia. Estas são algumas das vantagens oferecidas pelo open banking, tendência que está revolucionando o setor financeiro.

A bxblue, por exemplo, é uma empresa pioneira na aplicação do conceito e tecnologias de open banking ao mercado de empréstimos consignados online.

Para destrinchar o que significa essa inovação e como as novas ferramentas podem facilitar a vida da população, preparamos um guia completo sobre o tema. Tire as suas dúvidas!

O que é o open banking?

O open banking é um novo modelo de negócios, que envolve um conjunto de regras e tecnologias. O princípio fundamental é o compartilhamento de uma rede de dados entre as diferentes instituições financeiras. O termo, inclusive, significa ‘banco aberto’ em português.

A funcionalidade permite que os bancos aprimorem seus serviços e ofereçam novos produtos especializados aos seus clientes. Com isso, o objetivo final é incrementar qualidade e eficiência, além de proporcionar maior liberdade e controle à população sobre suas finanças.

Para garantir a transparência, essa troca de informações ocorre apenas com o consentimento prévio dos usuários. Não é necessário baixar nenhum aplicativo ou contratar nenhum produto. Os usuários podem permitir o compartilhamento nos aplicativos dos respectivos bancos onde possuem conta.

Open banking pelo mundo

O Reino Unido foi o primeiro país a adotar um sistema baseado em open banking, ainda em 2018.

Outros países seguiram o exemplo. A Austrália, por exemplo, concluiu a primeira fase de implementação no ano passado. Estados Unidos, Canadá e Rússia também estão analisando formas de introduzir a prática.

No Brasil, a implantação estava prevista para novembro de 2020, mas foi adiada a pedido dos bancos e começou em 1º de fevereiro. O Banco Central está a frente do processo.

As instituições financeiras mais tradicionais estão obrigadas a participar. Isso inclui Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Itaú, Santander, BNDES, Citibank, Credit Suisse, entre outros. Outros bancos terão adesão voluntária.

Leia também: O que é e como funciona a digitalização do empréstimo consignado

Quais dados são compartilhados?

As informações dos usuários que são disponibilizadas nos sistemas de open banking variam em cada país. No Brasil, alguns dos dados contemplados serão:

  • Nome, CPF/CNPJ, telefone, endereço;
  • Informações sobre renda ou faturamento, perfil de consumo, capacidade de compra, saldo na conta corrente;
  • Informações sobre os produtos e serviços contratados (como empréstimos, financiamento etc.).

É importante frisar que o compartilhamento depende da permissão dos clientes.

API: a tecnologia por trás do open banking

A tecnologia que serve de base ao open banking é a API, ou Application Programming Interfaces – em português “Interfaces de Programação de Aplicações”. Trata-se de um conjunto de estruturas de programação que dão acesso a um determinado sistema.

Assim, as APIs servem para integrar sistemas (como os das instituições financeiras) entre si, permitindo que conversem entre eles, mesmo que usem linguagens de programação diferentes.

O que é uma API aberta?

Se uma API é classificada como aberta, significa que os donos de determinada API permitem que desenvolvedores externos utilizem o código e façam a integração com outros sistemas.

Isso não significa que a ferramenta seja livre de autenticação ou custos, mas apenas que outras empresas podem ter acesso e, a partir dela, desenvolver novos serviços, produtos e recursos.

Sistemas de pagamento, por exemplo, dependem de APIs abertas para funcionar.

O open banking propõe que todo o mercado financeiro adote APIs abertas, para que exista uma interface padronizada ligando todas as instituições.

Quais são as vantagens do open banking?

O open banking tem o potencial de aprimorar diversos processos financeiros no Brasil, reduzindo burocracias e dando mais segurança e liberdade para os clientes.

Hoje, por exemplo, existem vários entraves para mudar de banco. Além disso, boa parte das informações sobre o cliente acumuladas ao longo da relação com uma instituição financeira se perde com a migração.

Com o “banco aberto”, o problema ficaria resolvido. O modelo descomplica a abertura de contas e a contratação de produtos e serviços em diferentes instituições simultaneamente, entre outras facilidades.

Outra vantagem é a possibilidade de cortar custos com as APIs abertas. A tecnologia permite criar sistemas mais integrados, com menos intermediários e processos mais ágeis e baratos.

Finalmente, o open banking incentiva o desenvolvimento de novos serviços e produtos, já que cria um ambiente mais competitivo e com variedade de opções para os consumidores.

bxblue: pioneira no open banking de consignado online

A bxblue é uma das fintechs que já beneficia seus usuários com soluções aprimoradas pelo open banking. A empresa, inclusive, é pioneira na aplicação do modelo para o mercado de empréstimo consignado online.

Criada em 2017, a bxblue tem como missão ajudar os consumidores a tomarem as melhores decisões em relação a créditos consignados.

Leia também: A bxblue é confiável e segura?

A plataforma funciona como uma interface com os melhores bancos do Brasil, onde os usuários podem simular e analisar ofertas de empréstimos e, assim, escolher as alternativas mais vantajosas.

E não para por aí! A bxblue permite que o crédito seja contratado de forma 100% digital, com agilidade e segurança e em alguns minutos.

A API com o Banco do Brasil

Ainda em 2018, a partir de uma parceria exclusiva com o Banco do Brasil (BB), foi criada em conjunto uma nova solução para facilitar a vida dos usuários e dos correntistas do BB.

A bxblue foi a primeira startup do Brasil a ser selecionada para co-criar com o maior banco do Brasil um moderno e seguro sistema de empréstimos online, para que outras empresas possam se conectar ao banco e oferecer crédito direto e mais rápido.

O que isso quer dizer? Que correntistas do BB podem entrar na plataforma, escolher o crédito do Banco do Brasil, autorizar a transação e receber o dinheiro em minutos.

Veja como funciona a ligação da bxblue com o BB:

Veja como funciona o empréstimo consignado no Banco do Brasil

A parceria também foi anunciada no próprio site do Banco do Brasil, e hoje é citada como um case dentro do setor.

LIFT Learning do BC

A bxblue também participou da 1ª edição do LIFT Learning, laboratório de inovação que reúne fintechs e universitários com o objetivo de criar soluções tecnológicas para o setor financeiro.  A edição foi encerrada em janeiro.

O programa foi lançado pelo Banco Central em conjunto com a Federação Nacional dos Servidores do Banco Central (Fenasbac), em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).

Em fase avançada de testes está um sistema de reconhecimento facial (desenvolvido com machine learning) para aumentar a segurança jurídica em contratações de empréstimo online.

A solução – que já é utilizada pelos clientes da plataforma e está em conformidade com as novas regras do open banking-, deve ajudar em breve outros usuários do sistema financeiro.

Para conhecer mais sobre a empresa, acesse também os perfis no Instagram, Twitter e Youtube.

Veja também: como calcular a margem consignável?


Quer receber as últimas notícias, em primeira mão direto no seu Whatsapp? Se inscreva gratuitamente: