Congresso: oposição pode vetar congelamento de salários dos Servidores

Oposição pode vetar decisão do Presidente Jair Bolsonaro sobre o congelamento de salários dos Servidores Públicos Federais até 2021. Entenda!

As discussões sobre o veto do Presidente Jair Bolsonaro em relação ao reajuste do salário do Funcionalismo Público até o próximo ano, continuam acaloradas. Agora, a oposição pode vetar o congelamento no congresso. Entenda o que ocorreu até aqui.

Mas a oposição ainda pode vetar uma decisão do Presidente?

Sim. E pelo que já vem sendo discutido os parlamentares que representam os Funcionários Públicos podem ter mais aliados dentro do próprio Governo.
A chamada “bancada de bala” tem ganhado cada vez mais força e faz grande articulação para defender o interesse dos seus. Uma das propostas é derrubar o veto de Bolsonaro que proíbe o reajuste dos salários dos Servidores das três esferas até o fim de 2021. Isso inclui, portanto, os Servidores Públicos Federais (SIAPE), Servidores Estaduais e Municipais.
Os Deputados que são da base governista afirmam que:

Deve haver uma unificação de forças

E mais, dizem que, justamente por esse motivo:

Não é impossível derrubar o veto

Ao menos, o que se vê é uma importante mobilização interna. A Frente Parlamentar Mista do Serviço Público é quem lidera a negociação e diz ter fechado com outras bancadas bem expressivas (PDT, PV, Rede e PSB).
Além disso, o PT também apoia a iniciativa. Inclusive, também conta com projeto de lei complementar de autoria do Deputado Carlos Veras, do PT-PE, em mais uma tentativa de revogar a decisão da semana anterior. O projeto é tido como um “plano B”, caso o veto do congelamento não ocorra, como previsto.


Recapitulando…

Congelamento foi uma contrapartida

O plano de socorro aos Estados e Municípios sancionado recentemente pelo Presidente, foi liberado mediante uma condição muito clara: o recurso seria repassado se os entes federativos se comprometessem a não reajustar os salários dos Servidores.
A transferência dos recursos financeiros é uma medida do Governo em apoio ao enfrentamento à Covid-19.

Leia também: Reajuste de salário congelado: Servidores Públicos vão ficar sem aumento

Embora entendida como uma decisão unilateral e, praticamente sem direito a resposta, os chefes de Estados não fizeram imposição.
O Ministro Paulo Guedes tem grande peso sobre a decisão do veto do Presidente uma vez que vinha defendendo e pedindo abertamente o veto para, em suas palavras, ajudar a conter os gastos públicos.


Servidores não podem pagar o ônus

Para o coordenador da frente, Deputado Professor Israel (PV-DF), a oposição pode vetar, porque parece haver um consenso de que os Servidores não podem arcar com o ônus da pandemia:

Alguns parlamentares de outros partidos também têm dito que podem apoiar a derrubada do veto, caso a proposta favoreça os servidores de saúde, educação e também da segurança. Por isso, estamos fazendo costuras individuais e achamos que vamos conseguir apoio em muitos partidos

Para o Deputado Capitão Augusto (PL-SP), ainda que alguns integrantes da “bancada de bala” sigam apoiando o atual Governo, devem votar contra o veto do Presidente. Assim, garantiriam pelo menos, o pagamento a algumas categorias, como é o caso dos policiais (Servidores da Segurança Pública):

Seria muito ruim votar contra a categoria. Eu mesmo estou pedindo a derrubada do veto, assim como os deputados da saúde e da educação estão fazendo com suas bases

Simule seu empréstimo consignado

O que você quer descobrir?

Seu convênio:

Qual é a sua margem consignável?

Em quantas parcelas?

Em quantas parcelas?

Em quantas parcelas?

Empréstimo de até

R$

Proposta sujeita à confirmação de margem consignável

Vetar ou não vetar? Eis a questão!

O Senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do Governo no Congresso, acredita que ainda é muito cedo para dar um veredicto sobre a situação. Por enquanto, ainda não há data para a avaliação do veto pelo Congresso. Então, é aguardar para saber se realmente a oposição poderá vetar ou não.

Entidades que representam os Servidores divulgam nota de repúdio

Enquanto isso, do outro lado, estão as entidades que representam os Servidores e os próprios Servidores que aguardam ansiosos pela decisão, mas não calados.
A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal/Federação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal, Condesef/Fenadsef, divulgou uma nota de repúdio contra o veto.
Em um dos trechos do documento, é citado que:

A Condsef e a Fenadsef, representando juntas mais de 80% das carreiras do serviço público federal, repudiam o congelamento salarial de servidores até o fim de 2021, instituído por chantagem do ministro Paulo Guedes em uma matéria de auxílio a Estados e Municípios. A decisão se mostra estratégica para aprovar por etapas a proposta de Reforma Administrativa que o governo anuncia desde antes da pandemia do novo coronavírus, e que deveria estar suspensa neste momento de enfrentamento à crise sanitária e econômica do Brasil.

Para continuar a receber notícias em primeira mão sobre o Funcionalismo Público, você que é Servidor Público Federal (SIAPE) pode se inscrever em nosso canal exclusivo. Se inscreva GRATUITAMENTE aqui para receber notícias selecionadas via WhatsApp.


Redação BX Blue

Redação BX Blue

Somos especialistas em empréstimo consignado e focados em divulgar informações úteis para as suas finanças.

Quer fazer um empréstimo consignado?

A bxblue pode te ajudar a contratar o consignado que você está precisando! Compare propostas de crédito consignado de diferentes bancos e escolha a melhor para você.

Simule seu consignado