Quem deve fazer a prova de vida INSS? Tire todas as suas dúvidas!

Publicado em: 21/01/2021

Ainda em dúvida se deve ou não fazer a prova de vida INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) neste ano? Não fez a atualização em 2020 e quer saber como será a prova de vida 2021?

Então confira essas dicas práticas e programe-se para não perder o prazo!

Quem deve fazer a prova de vida INSS?

A prova de vida consiste na atualização cadastral com o objetivo de conferir quais inscritos ainda estão vivos e têm direito ao benefício. De doze em doze meses, todos os segurados da Previdência Social devem fazer a prova de vida, obrigatoriamente. Portanto, a regra vale para:

  • aposentados;
  • pensionistas;
  • demais segurados que recebem auxílios.

Mesmo quem mora fora do país também precisa fazer a prova de vida INSS no tempo regular. A diferença é que o registro ocorre por meio de um procurador autorizado no INSS e/ou de documentos protocolados por autenticidade.

Quando fazer prova de vida INSS 2020?

O período considerado é o do tempo de concessão do benefício. Sendo assim, quem teve a aposentadoria ou pensão emitidos recentemente, deve esperar para completar um ano da data da concessão.

A comprovação de vida ou de fé já é dada no momento da confirmação do benefício. Por isso, passa a contar somente após 12 meses.

No momento, o recadastramento 2020 foi suspenso por mais 120 dias. O motivo do adiamento é evitar as aglomerações dos segurados, que em sua maioria são pessoas de terceira idade e fazem parte do grupo de risco de contágio pelo novo Coronavírus.

Como era feito antes da pandemia?

A comprovação normalmente era realizada dentro do mês de aniversário do segurado. Dessa forma, o prazo médio para regularizar o cadastro era de 30 dias.

No processo convencional, as pessoas tinham que procurar uma agência bancária e se apresentar com um documento pessoal com foto.

Como passou a ser feita durante a pandemia?

Logo no início da pandemia o INSS modificou o atendimento e alguns processos – incluindo a prova de vida. Em decisão inédita, a autarquia suspendeu a obrigatoriedade da prova de vida provisoriamente.

Desde agosto cerca de 550 mil segurados foram selecionados para realizar a comprovação digital.

Leia também: Nova prova de vida INSS começa a ser testada a partir do dia 20 de agosto

O teste de uso foi baseado na biometria facial e no cruzamento de dados na base do Governo Federal. No entanto, por ter se tratado de um piloto não foi implementado a todos ainda.

O que é necessário pra dar a prova de fé?

As exigências mudam conforme o método adotado:

Processo presencial

  • o segurado deve procurar uma agência da rede bancária em que recebe o benefício;
  • levar um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação ou outros);
  • o processo pode ser feito via autoatendimento com a leitura biométrica, direto nos caixas eletrônicos (se disponível).

Processo digital

  • o titular do benefício deve instalar dois aplicativos: Meu INSS e Meu Gov.Br;
  • seguir o passo a passo para registro da selfie e validação dos dados pessoais.

IMPORTANTE: válido somente para os convocados.

Domiciliar/Hospitalar

  • o titular deve solicitar o serviço da visita de um Servidor do INSS, pelo site ou aplicativo.

IMPORTANTE: a prova de vida domiciliar/hospitalar está temporariamente suspensa devido à pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Processo via procurador

  • o procurador deve ter cadastro no INSS e também deve procurar pessoalmente uma agência bancária, portando um documento original com foto;
  • residentes em países signatários: preenchimento do Formulário Específico de Atestado de Vida para o INSS (com reconhecimento da assinatura por autenticidade e registro na mesma jurisdição do cartório local). O documento também deve ser enviado à Agência Atendimento Acordos Internacionais – APSAI;
  • residentes em países não signatários: preenchimento do formulário e legalização junto às representações consulares brasileiras. Também deve ser encaminhado à Coordenação Geral de Gerenciamento de Pagamento de Benefícios – CGGPB, com endereço no SAUS – Quadra 2 – Bloco O – 8º andar – Sala 806 – CEP 70.070-946 – Brasília/DF.

IMPORTANTE: condição exclusiva para quem estiver fora do país, for portador de doença contagiosa, tiver dificuldades de locomoção ou idade igual ou superior a 80 anos.

Para a conclusão da rotina anual basta aguardar a confirmação do processo online. Quando feito digitalmente, o protocolo já é demonstrado no próprio aplicativo.

Onde fazer a prova de vida?

Os segurados devem procurar uma agência da rede bancária em que recebe o pagamento. Portanto, não precisa ser a mesma agência, podendo ser uma mais próxima da residência ou local onde estiver.

Ainda que a exigência do procedimento esteja suspensa até o final de março, os beneficiários podem se informar direto nas instituições sobre como fazer a prova de vida INSS e atualizar seu cadastro.

Dependendo do banco, podem haver cronogramas e regras específicos para evitar tumultos e filas.

Vale lembrar que, enquanto a prova de vida 2020 de todos os segurados não for finalizada, o recadastramento deste ano não será iniciado.

O que acontece com que não fizer a atualização?

O INSS pode bloquear o pagamento do benefício até que a pendência seja regularizada. Essa é uma das medidas que a autarquia tem para reduzir o número elevado de fraudes aplicadas contra a Previdência Social.

Uma vez identificada a comprovação o pagamento é efetuado e os pagamentos seguintes liberados nas respectivas datas do calendário de pagamentos.


Se você é beneficiário INSS (aposentado e pensionista) e não quer perder mais nenhuma informação relevante, pode receber notícias selecionadas direto no seu WhatsApp. Clique aqui para se inscrever GRATUITAMENTE.

Receba novidades por notificação
Receba novidades por e-mail
Erro ao enviar, tente novamente.