Como a reforma tributária afeta aposentados e pensionistas?

bxblue-reforma-tributaria

Publicado em: 05/07/2021

A segunda fase da reforma tributária foi entregue à Câmara dos Deputados pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. A correção da tabela do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) está entre as principais propostas desta fase, ao lado da tributação de dividendos (que é o lucro de uma empresa distribuído entre os acionistas).

A mudança na tabela do IRPF pode resultar na redução e isenção de impostos para milhões de brasileiros. Dentre eles, aposentados e pensionistas.

Acompanhe os detalhes da reforma, a correção da tabela do IRPF e o impacto de ambas nas aposentadorias e pensões.

Inscreva-se para receber novidades sobre empréstimo consignado
Erro ao enviar, tente novamente.

Principais pontos da reforma tributária

A reforma tributária é uma proposta apresentada pelo Poder Executivo por meio do Projeto de Lei 3.887/2020 com o intuito de substituir o atual modelo tributário por um mais moderno. A condução da proposta tem sido feita em diferentes etapas.

A primeira delas foi apresentada ao Congresso no dia 22/7/2020 e previa a unificação dos impostos PIS/Pasep e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e a criação da CBS (Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços), com alíquota de 12%.

Os dois impostos são pagos por empresas e servem para promover a integração social do empregado. Por meio dessa mudança, a proposta promete acabar com a cumulatividade de incidência tributária, com cobrança apenas sobre o valor adicionado pela empresa.

Aproximadamente um ano após a entrega da primeira etapa, a segunda foi entregue ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O texto sugere que sejam feitas correções de distorções históricas, como a correção da tabela do IRPF.

Se as alterações se concretizarem, aproximadamente 30 milhões de brasileiros terão redução de impostos e 16,3 milhões estarão isentos, cerca de 5,6 milhões a mais do que atualmente. Empresas de todos os setores também terão redução do IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica).

Saiba qual é o impacto da reforma para aposentados e pensionistas

Os aposentados e pensionistas podem fazer parte dos milhões de brasileiros que terão redução ou isenção de impostos com a aprovação da segunda etapa da reforma.

A reformulação do IR, com base da proposta de reforma tributária apresentada pelo governo federal, pode impactar os aposentados, pois busca elevar o limite de isenção para aqueles que ganham até R$ 2.500 por mês, grande maioria dos aposentados” contextualiza Raphael Rodrigues, advogado e professor universitário que integra o IEPREV (Instituto de Estudos Previdenciários, Trabalhistas e Tributários).

De acordo com os Dados Abertos do INSS referentes ao ano de 2018, o valor médio dos benefícios do INSS foi de R$ 1.463,40. O benefício com maior valor médio foi o de aposentadoria por tempo de contribuição, que chegou a R$ 2.301,15, seguido da pensão por morte acidentária (R$ 2.066,04) e pensão mensal vitalícia (R$ 1.892,19).

Já entre os servidores aposentados e pensionistas, a remuneração média – levando em consideração as regiões geográficas e o grupo ISP (Indicador de Situação Previdenciária) está em torno de R$ 2.407,85 e R$ 1.703,93 respectivamente, segundo a edição 2019 do Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS), a publicação mais recente do estudo. As informações foram retiradas do Sistema de Informações dos Regimes Públicos de Previdência Social (CADPREV).

É válido ressaltar que o desconto do IRPF não é calculado em cima do salário bruto, mas com base no valor líquido, levando em consideração outros descontos.

Veja a tabela de descontos do IRPF atual e como ela ficaria com a reforma

Faixa salarialPercentual de desconto do IRPF (2021)
Até R$ 1.903,98Isento
De R$ 1.903,99 a R$ 2.826,657,5%
De R$ 2.826,66 a R$ 3.751,0515%
De R$ 3.751,06 a R$ 4.664,0822,5%
Acima de R$ R$ 4.664,0827,5%
Fonte: Ministério da Economia
Faixa salarialPercentual de desconto do IRPF com a Reforma Tributária
Até R$ 2.500,00Isento
De R$ 2.500,01 a R$ 3.200,007,5%
De R$ 3.200,01 a R$ 4.250,0015%
De R$ 4.250,01 a R$ 5.300,0022,5%
Acima de R$ 5.300,0027,5%
Fonte: Ministério da Economia

O professor Raphael Rodrigues também dá destaque para outro ponto da segunda fase da reforma que pode afetar os aposentados e pensionistas: a tributação de dividendos, que é a parcela de lucro distribuída aos acionistas.

Rodrigues esclarece que “se eles [aposentados e pensionistas] continuassem a trabalhar, após a aposentadoria, e fossem sócios de empresas (o que hoje não é tão difícil de acontecer, já que a aposentadoria é baixa)“, poderiam ser afetados pela nova tributação.

Para o especialista, a tributação de dividendos é um trecho polêmico da proposta que merece destaque:

A proposta de se tributar os dividendos distribuídos por empresas a seus acionistas em 20% na fonte, merece maiores debates. Por exemplo, atualmente os dividendos são isentos de IR. De acordo com a proposta do governo, quem receber dividendos de empresas, ainda que seja um pequeno investidor pessoa física, terá seus dividendos tributados em 20%, independentemente do valor recebido. A possibilidade de isenção para o recebimento de até R$ 20 mil em dividendos num único mês, valerá apenas para micro e pequenas empresas.

Tributação de investimentos

Outra alteração proposta nesta fase tem a ver com a tributação de investimentos. A caderneta de poupança seguirá isenta, enquanto os ativos de renda fixa terão alíquota única de 15%.

Confira a seguir outras mudanças previstas na segunda fase da reforma tributária:

  • multimercados terão alíquota única de 15%;
  • fundos abertos para “come-cotas” passarão a ser recolhidos uma vez ao ano;
  • fundos exclusivos passarão a pagar como os demais;
  • Fundos de Investimento Imobiliário com cotas negociadas em Bolsa deixarão de ter isenção sobre rendimentos distribuídos a pessoa física a partir de 2022;
  • tributação dos demais cotistas cai de 20% para 15% na distribuição de rendimentos, amortização e alienação de cotas dentro e fora da bolsa;
  • operações em Bolsa de Valores passarão a ter apuração trimestral e alíquota será de 15% para todos os mercados;
  • compensação de resultados negativos poderá ocorrer entre todas as operações.

Tramitação da reforma tributária

A proposta da reforma está em tramitação em regime de prioridade no Congresso Nacional e aguarda a formação de comissão temporária para ser analisada.

A expectativa é que até o final de 2021 os parlamentares votem a segunda etapa da proposta.

E o empréstimo consignado?

Com a atualização da tabela do IRPF, aposentados e pensionistas podem vir a ter a oportunidade de contar com uma margem consignável maior para a contratação de empréstimos consignados.

Isso porque a margem consignável leva em consideração o valor líquido do benefício, ou seja, já com os descontos regulares. Se o desconto for menor, ou não ocorrer em razão do benefício da faixa de isenção, o valor do benefício – base de cálculo da margem – também fica maior.

Independentemente da operação escolhida, é sempre válido ressaltar a importância de pesquisar e comparar ofertas de diferentes bancos. O processo de busca pode ser um fator chave para garantir taxas de juros, formas de pagamento e condições que atendam as necessidades de cada consumidor.

Essa busca e comparação pode ser feita de forma mais rápida e gratuita com o simulador de empréstimo consignado da bxblue, que apresenta diferentes propostas de acordo com as especificações dadas.


Quer receber as últimas notícias, em primeira mão direto no seu Whatsapp? Se inscreva gratuitamente: