Quanto tempo demora para liberar a margem consignável?

mulher de terceira idade pensativa - quanto tempo demora para liberar a margem consignável

Publicado em: 01/10/2020

O tempo médio para liberar a margem consignável pode depender do tipo de operação realizada, mas em geral, demora em média de 3 a 5 dias úteis.

A margem consignável que é um dos principais critérios utilizados por aqueles que desejam tomar um empréstimo consignado, normalmente é acompanhada bem de perto – já que é o que possibilita ou não esse acesso.

Na prática, beneficiários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Servidores Públicos e Trabalhadores de Empresas Privadas devem ter margem livre para a consignação em folha de pagamento. Esse limite é de 35% com base no valor líquido recebido no mês.

Veja formas de liberar a margem e obter o dinheiro necessário!

O que fazer para liberar a margem consignável?

Aqueles que já que utilizaram integralmente sua margem consignável, e ainda assim precisam de crédito rápido e barato, podem realizar algumas manobras financeiras permitidas para liberar a margem consignável. 

Quando o limite estabelecido por lei é atingido, o titular da dívida pode:

Quitar um contrato em andamento 

Para reaver o limite utilizado e liberar a margem consignável, uma opção é fazer a quitação de um contrato atual.

Mesmo no caso do consignado, que tem os descontos direto na folha de pagamento, as parcelas podem ser quitadas antes do seu vencimento original.

Essa alternativa é um direito de todo cidadão, previsto no Código de Defesa do Consumidor. Além disso, não devem incidir quaisquer cobranças extras. Portanto, basta que o consumidor solicite à instituição financeira o valor para quitação parcial ou total.

Leia também: Como calcular ou saber o saldo devedor do Empréstimo Consignado?

Sendo assim, o banco responsável pelo empréstimo emitirá um boleto com o saldo devedor, excluindo-se as taxas de juros das parcelas correspondentes. Em consequência, essa ação pode gerar ainda uma economia, já que não há aplicação dos juros futuros.

Quando é indicado: quando restam poucas parcelas ou dinheiro suficiente para quitar a dívida atual e compensa solicitar um novo crédito.

Cadastre-se para receber conteúdos exclusivos sobre empréstimo consignado
Erro ao enviar, tente novamente.

Solicitar o cancelamento de um contrato recém-contratado

Qualquer contratante pode pedir o cancelamento de um crédito pessoal recém solicitado, desde que respeite algumas regras como:

  • O cancelamento só pode ser realizado em até 7 dias após a averbação do contrato;
  • Devolução integral do valor recebido.

Em caso de desistência é preciso que seja feito um pedido formal ao banco contratado para que os demais trâmites operacionais possam ser iniciados. Um dos passos é o da liberação da margem.

Num primeiro momento essa ação pode não fazer tanto sentido, mas ao avaliar que não necessitará mais do dinheiro, por exemplo, o titular não é obrigado a manter com a dívida.

Portanto, essa é mais uma estratégia para liberar a margem consignável, mas deve ser bem pensada – para que tudo possa ser solucionado rapidamente e sem outras implicações.

Quando é indicado: quando o valor não é mais necessário ou houver mudanças nos planos financeiros.

Migrar a dívida de banco

Ao migrar a dívida para outra instituição financeira o contrato ativo pode ficar mais barato e com isso liberar o limite da margem. É como trocar uma dívida mais cara, por uma de menor valor – sem, no entanto, alterar as demais condições negociadas.

Isso não só é possível, como é um dos métodos mais utilizados hoje em dia, concretizado pela portabilidade de crédito.

Quando é recomendado: quando outra instituição financeira oferece condições mais vantajosas que possam ajudar a reduzir o saldo devedor e, com isso, a margem em uso.

Qual é o prazo estimado para liberação da margem consignável? 

O processo de efetivação da contratação de um empréstimo consignado passa por algumas etapas, sendo as últimas relacionadas à formalização e liberação do crédito.

Assim, após a assinatura do contrato, a operação pode ser então averbada e o valor liberado em conta. Por outro lado, quando há qualquer alteração das condições negociadas anteriormente, o contrato precisa ser refeito. Então é feita a desaverbação e novamente a averbação, dependendo da situação.

Na antecipação do valor total, o contrato é liquidado e a dívida deixa de existir, podendo a margem ser novamente utilizada após a desaverbação.

Leia também: O que é Averbação no Contrato de Empréstimo Consignado?

No geral, o prazo médio para liberar a liberar a margem consignável é de 3-5 dias úteis. A exceção ocorre quando é feita a portabilidade que demanda, portanto, a desaverbação do contrato anterior e uma nova formalização. Nestes casos, o prazo estimado é de até 20 dias úteis.

Como conferir se a margem foi liberada?

A liberação da margem pode ser confirmada pelos sistemas de consignação ou contracheques atualizados, onde consta essa informação. Assim, Aposentados e Pensionistas devem consultar o Extrato de Empréstimo Consignado no Portal Meu INSS ou através do Extrato de Consignações no SIGEPE.

Conferindo o Extrato de Empréstimos Consignados no Meu INSS

Também chamado de HISCON, o Extrato de Empréstimos Consignados é um documento que pode ser emitido online pela Central de Serviços Gratuitos do INSS.

Esse é o documento que detalha todas as informações financeiras relativas às operações da consignação em folha. Para acessá-lo basta:

  1. Acessar o Meu INSS (site ou aplicativo);
  2. Logar na conta para autenticar o usuário;
  3. Selecionar a opção “Extrato de Empréstimo”, na página inicial.

Vale lembrar que a atualização dos sistemas pode não ser em tempo real, então, é sempre bom conferir em datas ou horários diferentes e consecutivos, se tiver urgência.

Conferindo o Extrato de Consignações no SIGEPE

Servidores Públicos Federais (SIAPE) podem fazer o mesmo ao consultar o sistema específico desenvolvido pelo Governo: o SIGEPE. O passo a passo é muito simples:

  • Acesse o Portal do Servidor e selecione a opção “Sigepe Servidor e Pensionista” no menu inicial;
  • Após ser redirecionado para o SIGAC, informe suas informações de login, isto é, CPF e senha ou insira um Certificado Digital válido;
  • Em seguida clique em “Extrato de Consignações Vigentes”.

O que fazer se a margem não for desaverbada?

O primeiro passo é validar a informação que consta nos extratos. Se a margem não for atualizada, é preciso entrar em contato com a instituição financeira para verificar o que ocorreu.

Os Servidores Federais contam ainda com uma vantagem que é emitir a prévia do contracheque. Com isso e se, houverem divergências, o Servidor pode acionar o departamento responsável da Unidade Gestora para correção antes do pagamento.

Se qualquer parcela adicional for descontada do salário ou benefício previdenciário, após a quitação ou transferência da dívida, o titular pode ser ressarcido mas é preciso, novamente, acionar o banco.


Quer receber as últimas notícias, em primeira mão direto no seu Whatsapp? Se inscreva gratuitamente: