6 vantagens do refinanciamento do consignado

Sabia que fazer o refinanciamento do consignado pode ser extremamente vantajoso para o seu bolso? Continue a leitura para ver todos os detalhes.

vantagens do refinanciamento do consignado - dinheiro, metas, retorno, seta para cima

Se você tem um empréstimo consignado em andamento, ou planeja contratar o crédito, deve saber que além de ser uma modalidade que oferece as melhores taxas de juros, há recursos que podem ser muito úteis para suas finanças, como é o caso da renegociação da dívida. Mas, afinal, o que é e quais são as vantagens do refinanciamento do consignado?

Disponível para servidores públicos federais, estaduais e municipais, além de beneficiários do INSS, militares das Forças Armadas e trabalhadores do setor privado, o refinanciamento é uma estratégia que permite ao tomador do crédito ter um maior “respiro” financeiro, especialmente em situações de emergência.

Isso significa que quem já contratou o empréstimo pode se beneficiar de diferentes formas através da renegociação da dívida, como buscar condições de contratação melhores do que as anteriores. A seguir, confira todos os detalhes e vantagens desse tipo de negociação.

O que é e como funciona o refinanciamento do consignado?

O refinanciamento do consignado é uma modalidade que possibilita ao tomador negociar melhores condições de pagamento de um empréstimo, bem como solicitar um crédito novo, se assim o desejar, mesmo com a dívida em andamento. Porém, para realizar essa operação o interessado deve, obrigatoriamente, ter quitado parte do seu contrato em vigor.

Além disso, a liberação de um novo empréstimo se dá porque, com a renegociação da dívida, libera-se parte da margem consignável comprometida com o pagamento das parcelas vigentes. Cabe destacar que a margem consignável nada mais é do que um teto do quanto pode ser descontado mensalmente da renda do solicitante.

Por regra, o pagamento do empréstimo consignado ocorre através de descontos automáticos no salário ou benefício previdenciário do tomador. Assim, a margem existe para que não se ultrapasse um limite razoável de sua renda, permitindo que o tomador tenha capacidade de custear outras despesas básicas e evitar o seu superendividamento.

A margem consignável é dividida entre as parcelas do empréstimo e o cartão de crédito consignado. Assim, ao atingir o teto, o aposentado ou pensionista do INSS, bem como demais pessoas que têm um convênio atendido pela modalidade consignatária, ficam impossibilitados de contratar um novo crédito.

Diante disso, é possível fazer a renegociação da dívida, alterando condições contratuais como o prazo de pagamento e o valor das parcelas. Consequentemente, altera-se o percentual comprometido da margem consignável, possibilitando que o indivíduo sem margem ou com a margem zerada possa fazer outro empréstimo.

Outro ponto importante é que o refinanciamento difere-se da portabilidade do consignado — outro sistema que também permite a negociação de termos contratuais do empréstimo. Neste último caso, o interessado altera o credor, levando a dívida de um banco para outro, a fim de buscar melhores taxas e condições para liquidar sua dívida.

Simule seu empréstimo consignado

O que você quer descobrir?

Seu convênio:

Qual é a sua margem consignável?

Em quantas parcelas?

Em quantas parcelas?

Em quantas parcelas?

Empréstimo de até

R$

Proposta sujeita à confirmação de margem consignável

Quem pode fazer o refinanciamento do empréstimo?

Como já mencionado, o refinanciamento do consignado é um serviço disponível para todos os beneficiários da modalidade. Ou seja, aposentados e pensionistas do INSS (incluindo os beneficiários do BPC), servidores públicos federais, estaduais ou municipais, militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, e trabalhadores de carteira assinada, com um convênio válido.

Porém, para fazer o refinanciamento do consignado, exige-se que o interessado tenha liquidado parte das parcelas do contrato em andamento. Em geral, o limite mínimo estabelecido pelas instituições consignatárias pode variar entre 15% e 30%. No entanto, cada banco pode estabelecer suas próprias regras, conforme a política de crédito da instituição financeira.

Ademais, cabe mencionar que o refinanciamento do consignado é uma alternativa para quem está com a margem zerada ou negativa — e precisa ter acesso a um novo empréstimo. Isso porque, tendo em vista a limitação da margem consignável, quem está com margem zerada ou negativa não pode solicitar um novo empréstimo. 

Assim, ao fazer o refinanciamento, como vimos, libera-se parte da margem que está comprometida. Lembrando que a margem zerada se dá quando não há mais possibilidades de reservar o salário ou benefício para fazer novos empréstimos.

Já a margem negativa refere-se àqueles que já zeraram sua margem, mas têm descontos mantidos, seja por conta de erros do banco ou de vantagens concedidas provisoriamente, como o aumento momentâneo da margem consignável.

Principais regras do refinanciamento do consignado

O refinanciamento é uma espécie de renegociação, cuja dívida contraída pode ter seus termos modificados junto ao banco credor. Basicamente, ele consiste na distribuição do saldo pendente pelo prazo original da dívida. Como aumenta-se o período de pagamento, os valores descontados mensalmente são reduzidos, trazendo maior respiro ao tomador.

Outra vantagem do refinanciamento do consignado é que por meio dessa operação é possível liberar mais dinheiro, já que com o desbloqueio de parte da margem consignável, o interessado pode contratar um novo empréstimo se assim desejar. Porém, é preciso pagar em média entre 15% e 30% do contrato atual antes de solicitar o refinanciamento.

Todos os contratos de empréstimos consignados podem ser refinanciados. Para tanto, o consumidor que pagou as parcelas parcialmente, e deseja negociar novos termos, deve entrar em contato com o banco credor ou fazer uma simulação online, a fim de verificar as condições de contratação nos principais bancos.

Se aprovada pela instituição consignatária responsável, a proposta será averbada, a partir dos novos termos acordados entre as partes. Por ser uma negociação distinta, esse tipo de operação tem um prazo de aprovação mais elevado, sendo sua duração média de 15 a 20 dias, dependendo dos critérios estabelecidos por cada banco. Porém, todo o processo pode ser realizado pela internet.

6 vantagens do refinanciamento do consignado

Além de conservar os benefícios do empréstimo consignado, há inúmeras outras vantagens do refinanciamento do consignado. A seguir, confira as principais:

1. Possibilidade de receber troco

O refinanciamento do consignado com troco é uma alternativa que está disponível aos tomadores do crédito, permitindo ao interessado, de acordo com a negociação com a instituição financeira, garantir uma negociação que lhe garanta dinheiro no bolso — além de reduzir o valor das parcelas descontadas mensalmente em folha de pagamento.

Na prática, o troco refere-se ao valor quitado de uma dívida que é devolvido, em espécie, para você. Funciona assim: imagine que contratou um empréstimo de R$ 10 mil em 60 parcelas. Após 24 pagamentos, faltariam R$ 6 mil para quitar a dívida. Ao retornar o crédito restante no seu prazo original (60 meses), o banco liquida o empréstimo, oferecendo um novo crédito no valor de R$ 10 mil. Assim, os R$ 4 mil pagos são devolvidos.

2. Redução do valor das parcelas

Outra vantagem do refinanciamento do consignado é que, dependendo do objetivo da operação, pode-se reduzir o valor das parcelas debitadas mensalmente do salário ou benefício do tomador. Isso porque, ao renovar o empréstimo e obter crédito extra, a liberação da margem possibilita, a critério do tomador, a redução das parcelas.

Assim, caso tenha o desejo de pagar menos por mês, para conseguir um maior respiro financeiro, renova-se apenas o saldo restante pelo prazo inicial. Consequentemente, haverá mais parcelas diluídas através de um valor menor.

3. Liberação da margem consignável

Quando o beneficiário da modalidade de consignado tem um empréstimo vigente e, já tendo comprometido toda a margem, os bancos ficam impossibilitados de autorizar novos empréstimos

Nesse contexto, o refinanciamento do consignado é uma alternativa para que o interessado possa tomar crédito emprestado, sem assumir uma nova dívida. Isso porque, no decorrer do pagamento das parcelas mensais, reduz-se, proporcionalmente, o saldo devedor

Consequentemente o limite, ou seja, o valor da margem consignável vai sendo liberada. Além disso, como é uma operação onde o prazo original é restabelecido, distribuindo o valor da dívida por um período maior, os descontos mensais são reduzidos, possibilitando também a diminuição no percentual da margem comprometida.

4. Aumento do prazo para pagamento

Dependendo do contexto financeiro dos consumidores, fazer o refinanciamento do consignado pode ser muito vantajoso. Isso porque, neste caso, é possível ampliar o prazo total de quitação da dívida.

Lembrando que o prazo máximo deve respeitar as características e regras de cada modalidade. Em geral, aposentados e pensionistas do INSS podem quitar o empréstimo em até 84 meses, isto é, 7 anos. Já os servidores SIAPE, por exemplo, têm até 8 anos (96 meses) para quitar as parcelas — que são fixas e, portanto, não sofrem alterações.

5. Disponível para negativados

Via de regra, as chances de inadimplência do empréstimo consignado são praticamente nulas. Isso porque o pagamento do empréstimo ocorre automaticamente, por meio de descontos no salário ou benefício do tomador. Isso significa que o valor é descontado antes mesmo do consumidor ter acesso à sua remuneração.

Consequentemente, há menos riscos envolvidos em relação a essa operação. Logo, os bancos acabam flexibilizando as políticas de crédito para liberação e renovação do empréstimo. Assim, até mesmo pessoas com restrições junto aos órgãos de proteção ao crédito podem fazer esse tipo de negociação.

6. Diminuição da taxa de juros

Por fim, a diminuição da taxa de juros é mais uma das vantagens do refinanciamento do consignado. Com a negociação de novas condições de pagamento e, se a instituição na qual solicitou o crédito apresentar melhores taxas de pagamento, a taxa de juros também pode ser reduzida, o que contribui para a liberação de mais margem e um respiro financeiro maior, já que taxas menores significam menores parcelas e mais crédito no bolso.

Onde fazer o refinanciamento do consignado?

O primeiro passo para fazer o refinanciamento do empréstimo consignado é procurar a instituição financeira responsável pelo crédito. Porém, se preferir, pode-se realizar uma simulação virtual, de modo a conferir as condições de pagamento disponíveis em diferentes bancos.

Dentre elas, é possível conferir, por exemplo, os valores, prazos, e as taxas de juros praticadas pelas instituições consignatárias. Na BX Blue, é possível analisar tais aspectos remotamente, uma vez que todo o procedimento é feito 100% virtualmente.

Disponível para servidores públicos, o refinanciamento do consignado na BX Blue pode garantir a melhor oferta para o seu bolso.

Não perca mais tempo: simule e contrate agora mesmo.


Saiba tudo de empréstimo consignado e confira dicas para organizar sua vida financeira no canal da BX Blue no YouTube: inscreva-se gratuitamente aqui.


Redação BX Blue

Redação BX Blue

Somos especialistas em empréstimo consignado e focados em divulgar informações úteis para as suas finanças.

O empréstimo consignado ideal para você

A BX Blue busca várias ofertas para te ajudar a encontrar o consignado que você precisa!

Compare online, escolha a melhor oferta e receba o dinheiro com rapidez e segurança.

Ver ofertas de consignado