Como usar o Crédito Consignado para quitar as dívidas do início do ano?

bxblue-como-usar-o-credito-consignado-para-pagar-as-dividas-do-inicio-do-ano

Material escolar, IPTU, IPVA e diversas outras despesas estão sempre presentes na rotina dos brasileiros, principalmente nos meses de janeiro. Assim, é comum que as pessoas busquem alternativas para pagar as dívidas do início do ano sem comprometer seu orçamento.

Na busca para contornar essa situação, a contratação de um empréstimo pessoal é uma das alternativas mais consideradas. Mas, diante de tantas opções no mercado, qual a melhor linha para manter a vida financeira em ordem?

Não é novidade para ninguém que o empréstimo consignado é uma das modalidades de crédito mais baratas do país.

Por isso, recorrer a uma dívida mais baixa e capaz de cobrir as despesas antes de começar o ano novo, pode ser uma decisão financeira inteligente.

Se quer fugir do cheque especial e o rotativo do cartão, veja agora mesmo por que escolher o empréstimo consignado para pagar as contas e evitar as dívidas do início do ano!

Dívidas comuns do início do ano

É certo que o brasileiro tem contas a serem pagas durante todo o ano. Entretanto, algumas dívidas se acumulam entre o fim do ano e início do ano seguinte.

É nesse período que os famosos carnês e faturas chegam para pagamento. E aí, não se tem muitas escolhas. Ou se paga as contas ou se inicia o ano endividado.

IPTU

Para começar, o IPTU é um dos impostos mais caros e que devem ser quitados anualmente por proprietários e/ou inquilinos.

Embora não seja uma regra, é possível que aqueles que vivem de aluguel já paguem o valor correspondente ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) inclusos no valor do aluguel.

Cobrado pelos Órgãos Municipais, este imposto é devido para que as Prefeituras apliquem o montante arrecadado em benfeitorias para a cidade.

Uma das vantagens desse imposto é a possibilidade de parcelamento da dívida durante alguns meses subsequentes. Ainda, aqueles que preferirem, podem saldar o débito em uma única parcela com direito a um bom desconto.

Porque pagar: todo imposto é uma obrigação legal do titular do imóvel com o órgão regulador. Não efetuar esse pagamento pode acarretar em juros e na perda do imóvel, quando a dívida já está muito alta.

IPVA

Outro imposto muito comum e obrigatório para aqueles que possuem veículos automotores, o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) é uma taxa cobrada pelo Governo Estadual.

As formas de pagamento podem sofrer alterações de acordo com as regras de cada Estado, mas, no geral, existe a possibilidade do parcelamento em até três vezes iguais ou o pagamento à vista com desconto.

Por meio desta cobrança legal, os Governos Estaduais podem investir em novos projetos públicos para as áreas da Saúde, Segurança, Educação e Transporte. Ainda, é importante ressaltar que o IPVA deve ser pago juntamente com o licenciamento do veículo e o seguro obrigatório (DPVAT).

Porque pagar: o IPVA não pago pode se tornar uma dívida ativa. Portanto, vale ficar atento ao calendário de pagamento e quitar as parcelas ou dívida integralmente.

Se não for pago, algumas das implicações são: multa pelo atraso e até apreensão do veículo. Basta lembrar que o licenciamento do veículo só pode ser realizado a partir do pagamento das principais taxas (incluindo o IPVA). Sem o licenciamento quitado, o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) não pode ser emitido.

Para consultar os valores atualizados, basta acessar o site do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) do respectivo estado.

Reajuste contratos de aluguel

Quem mora de aluguel, pode ter que desembolsar um valor a mais para o reajuste do início do ano. A data base é calculada em função da data de assinatura do contrato.

Assim, se o contrato foi assinado nos primeiros meses do ano, o reajuste será cobrado na mesma época. Embora, o valor só seja cobrado uma única vez por ano, deve ser somado ao orçamento anual pessoal ou familiar.

De acordo com a Lei do Inquilinato, os índices de reajuste podem sofrer variações diferentes, tendo sempre como base a inflação pelo índice IGPM – Índice Geral de Preços do Mercado.

Porque pagar: assim como qualquer outra dívida, o atraso do pagamento do reajuste do aluguel ou das prestações mensais, pode acarretar na cobrança de juros. Em caso de inadimplência, decorridos de alguns meses o proprietário do imóvel pode requerer o bem na Justiça.

Seguros

Com a violência das cidades, muitas pessoas andam cada vez mais preocupadas em proteger o seu patrimônio. Por isso, a contratação de seguros de automóveis e residenciais também podem compor uma parte das despesas que devem ser pagas para não ficar preso às dívidas do início do ano.

Entretanto, é válido ressaltar que esta dívida não está necessariamente atrelada a necessidade de quitação no início do ano. Essa negociação vai depender da seguradora e as condições de pagamento também podem variar de empresa para empresa.

Porque pagar: se um contrato de seguro é interrompido antes da sua quitação, geralmente o valor não pode ser ressarcido e o bem fica parcialmente ou sem cobertura ou proteção.

Antes de fechar qualquer negócio neste sentido, vale a pena incluir o valor no orçamento mensal e avaliar sua capacidade de pagamento.

Educação

Uma das maiores dificuldades para quem tem filhos em idade escolar é acrescentar os custos com o estudo dos filhos — além dos gastos já mencionados. Muitos estudantes matriculados em escolas particulares, por exemplo, precisam quitar taxas de rematrículas. 

Entretanto, independente da modalidade de ensino, a lista de material escolar é um item indispensável para o ano letivo dos estudantes.  Isso sem contar com a compra de uniformes, por exemplo.

Por isso, estes custos devem ser contabilizados, pois correspondem a uma parcela considerável do orçamento nos primeiros meses do ano.

O mesmo vale para os universitários ingressantes que muitas vezes precisam desembolsar com taxas de matrículas e livros.

Porque pagar: educação acaba sendo um investimento de médio a longo prazo. Ao fazer a escolha por instituições privadas avalie sempre as condições contratuais para não ter nenhuma surpresa negativa. 

Aproveite para saber agora como se livrar destas e de outras dívidas do início do ano!

Livre-se das dívidas do início do ano

Para evitar iniciar o ano endividado, basta seguir essas três recomendações básicas da especialista em finanças Giselle Freitas:

1) Quite as dívidas mais caras

A prioridade para quitar as dívidas do início do ano deve levar em consideração àquelas despesas de maior valor.

No geral, estão incluídas nesta categoria as despesas que envolvem risco maior da perda do bem como o financiamento de imóveis e veículos.

Além destes, como já citado não se pode esquecer de saldar despesas essenciais como o IPTU, IPVA, taxas condominiais e aluguel.

Os cartões de crédito e cheques especiais merecem atenção redobrada. Isso porque além de representar um grande percentual do orçamento, o não pagamento pode gerar sérios danos a sua saúde financeira.

2) Renegocie as dívidas antigas

Caso não seja possível fazer a quitação das despesas dentro do prazo, é importante que os credores sejam procurados para uma renegociação.

Essa prática além de demonstrar o interesse do cliente em pagar a dívida, pode gerar bons descontos e demais facilidades.

Quanto mais tempo a dívida fica pendente, maior é o valor a ser pago. Portanto, é sempre recomendado procurar o credor para negociar ou fazer acordos

Geralmente, no início do ano algumas financeiras também tem os famosos “feirões de dívidas”. Essa pode ser uma excelente oportunidade para negociar os débitos em atraso.

3) Pague as novas contas à vista

Abrir mão de algumas despesas em sempre é possível. No entanto, o mais importante é procurar as despesas com menor taxa de juros e fazer o possível para quitá-las à vista.

IPTU, IPVA, Seguros. Praticamente todas as despesas que são recorrentes tem opções para pagamento à vista. Sempre que possível vale a pena fazer uma economia e quitar essas dívidas à vista. Além de conseguir desconto o limite do crédito não é comprometido, podendo ser utilizado em emergências ou em outras ocasiões

A dica é sempre evitar o parcelamento e fazer com que as dívidas não cresçam e fujam do controle. E além disso, é preciso lembrar que além das dívidas do início do ano, existem aquelas que são recorrentes. 

Então, para manter o orçamento em dia ao longo do ano, aproveite para conferir essas dicas!

5 dicas para manter o orçamento do ano em dia

Um bom planejamento financeiro não faz mal a ninguém. Pelo contrário, pode ajudar e muito. E o melhor, é possível começar seguindo esses passos práticos:

1 – Entenda para onde o dinheiro está indo

Controlar os gastos pessoais talvez seja uma das tarefas mais difíceis, mas, essa ação é imprescindível para quem deseja se livrar das dívidas. Para isso, o primeiro passo é criar uma planilha e determinar todos os gastos mensais.

Assim, você pode ter um controle maior sobre tudo o que tem de rendimento e despesas durante um período. Além do mais, é possível observar com clareza onde o seu dinheiro está sendo aplicado.

2 – Corte os gastos que não são essenciais

É natural que muitas pessoas apresentem compulsão por compras, especialmente em épocas festivas como no final e no começo de cada ano. Contudo, essa prática é extremamente nociva para a sua saúde financeira.

Afinal, esse tipo de gasto (considerado supérfluo muitas vezes) pode comprometer o rendimento da família e deixar as suas contas próximas do vermelho.

Dessa forma, para evitar esse tipo de ocorrência, faça uma avaliação prévia sobre as necessidades reais de comprar algum produto ou contratar determinado serviço.

Seja na hora de comprar roupas, sapatos, acessórios ou até mesmo financiar alguns prazeres, é importante avaliar se aquilo realmente é necessário.

Além de reduzir os gastos, esse comportamento pode ajudar a garantir que o seu orçamento não seja totalmente comprometido no final do mês.

3 – Troque as dívidas mais caras por outras mais baratas

Se você utilizou o limite do seu cheque especial ou caiu no rotativo do cartão de crédito, deve imaginar que está pagando juros altíssimos. Essas linhas de crédito correspondem às taxas mais altas do mercado. Além disso, são as principais responsáveis pelos índices de inadimplência.

Para manter sua saúde financeira em bom estado é importante fugir, sempre que possível, desse tipo de crédito. Portanto, o empréstimo consignado se mostra como um excelente aliado. Afinal, se trata de uma modalidade de crédito muito acessível e com diversas facilidades na hora de pagar.

Aposentados, Pensionistas, Servidores Públicos e Trabalhadores de empresas privadas podem se beneficiar de taxas de juros mais baratas. Outra vantagem é a flexibilidade dos prazos de pagamento. 

4 -Transfira a dívida para outro banco

Os mercados estão cada vez mais competitivos e isso não é diferente para as instituições financeiras. Por conta disso, as taxas de juros e tarifas bancárias podem variar muito entre cada instituição.

Assim, a portabilidade de crédito, para quem tem um ou mais empréstimos ativos, também pode ajudar a economizar dinheiro.

No caso do empréstimo consignado, ao transferir uma dívida para um banco com taxas de juros menores é possível ainda liberar margem consignável.

Antes de tomar essa decisão, porém, é recomendado fazer uma negociação com o banco de origem. O contrato também pode ser refinanciado na mesma instituição. 

5 – Faça uma reserva financeira

Por fim, manter uma reserva financeira é um passo muito importante para quem deseja ter total controle sobre o seu orçamento pessoal. A maioria das dívidas inesperadas acontece diante de algum imprevisto ou emergência.

Por isso, manter um fundo de emergência para saldar os débitos contraídos nesse período é uma forma de evitar despesas. Ou seja, com acesso a uma reserva, provavelmente não será necessário recorrer ao uso do cartão de crédito, por exemplo.

Ninguém está isento das dívidas do início de ano. Mas a boa notícia é que você já pode contar com alternativas financeiras mais vantajosas. Acredite: seu bolso agradecerá!

Então, utilize o dinheiro do empréstimo consignado para se livrar das dívidas. Troque todas as dívidas por uma só, ainda mais barata! Faça uma simulação online agora. É grátis, seguro e muito prático!

 

Quer fazer um empréstimo consignado?

A bxblue pode te ajudar a contratar o consignado que você está precisando! Compare propostas de crédito consignado de diferentes bancos e escolha a melhor para você.

Simule seu consignado

Como usar o Crédito Consignado para quitar as dívidas do início do ano?

Posts recomendados